sexta-feira, 8 de dezembro de 2006

Baú


Um tesouro será doado ao museu

Fonte: Zero Hora, Porto Alegre, 08/12/2006

Da janela do imenso apartamento, contempla a paisagem e revê fotos amareladas. Não havia porque reter num velho baú fagulhas de luzes que se perderam. Do fogo que queimaria o passado, optou por iluminar os olhos dos outros. Suas melhores lembranças não estavam impressas.
Sorriu e foi tomar um chá.

5 comentários:

Edilson Pantoja disse...

Da janela do imenso apartamento/memória. Lugares de onde se pode ver muito. Abraço!

Caiê disse...

As melhores lembranças ficam cá dentro mesmo... ;)

lucordeiro disse...

Olá Sílvio, eh, as lembranças que importam nunca estão impressas. Porque antes de se transformarem em lembranças não temos tempo de registrá-las: estamos ocupados em vivê-las.
Beijos.

Santa disse...

Sílvio, o nível de sofisticação literária dos seus mini contos estão sem medida. Parabéns mais uma vez!

Santa disse...

Juro que não reconheci a foto.