quarta-feira, 14 de fevereiro de 2007

Sede


.
fonte: Portugal Diário, 14/02/2007
.
.
A cidade é Lagos, porém a ele resta nada mais que um velho balde de plástico azul. O fogo lhe arde a pele e desvanece a súplica.
Ao fotógrafo resta o registro da inoperância de um país em calamidade constante, onde nem mesmo o nome "Lagos" é capaz de aplacar a sede que a miséria traz.

3 comentários:

Milene Maciel disse...

Caos!
Esse é o retrato ral do mundo em que vivemos hoje.

Pena muita gente esconder a verdade e criar uma outra bonita, porém utópica, que nos impede de enxergar o real e, assim, lutar por melhoras!

Excelente Conto!
Como todos por aqui!

Beijos!

Milene Maciel disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Santa disse...

Nada é tão premiado do que a estética do caos. Difícil é eleger a vida, o bem estar humano.

Bjs