quinta-feira, 15 de março de 2007

Reza forte


.
fonte: Portal G1, 15/03/2007
.
Severino foi deitar-se mais cedo naquela noite. Tinha um pressentimento que Padre Cícero estaria olhando por ele.
- Meu Padim, preciso de uns trocados prá pagar o Seu Antônio!
O estrondo que ouviu não era de um anjo pousando, mas olhou prá cima, sorriu e benzeu-se:
- Obrigado meu Padim Padre Cícero!

2 comentários:

Saramar disse...

Sílvio, você é perfeito!
Provavelmente, aquela gente pobre nunca viu tanto dinheiro.
Certamente, haverá muita novema de agradecimento ao Padim.

beijos

lucordeiro disse...

Sílvio, não consegui abrir o espaço pra comentar no texto acima. Então, deixo aqui: a desigualdade humana é ampla, muito ampla... uns têm alma, outros não. Uns têm caráter, são sem máscaras, abrem o coração. Outros são insensíveis, cínicos, aproveitadores. Se a desigualdade social fosse o maior abismo entre os seres ainda poderia ser sanada. Mas a desigualdade de alma não tem remédio. E qdo nos damos conta dela vem uma desilusão que arrasa. Desculpe o desabafo, amigo. É que estou árida como um deserto. Mas passo aqui pra te deixar um beijo e dizer que a qualquer hora eu volto. É um prazer ler o que escreve, ainda que eu tenha estado um tanto distante... estava voltada pra tentar sanar a tal desigualdade. E não consegui. Joguei a toalha. Cuide-se bem, amigo. Beijos